Comentário no Direto da Moviola do Estadão no Ar: A ditadura e o crime

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
WhatsApp

A entrevista que o repórter José Louzeiro fez com o primeiro bandido famoso da classe média no Rio, Lúcio Flávio Vilar Lírio, que utilizou um tipo de código de ética na vida do crime, fez história na imprensa brasileira e ele logo a publicou num best-seller: o livro Lúcio Flávio – Passageiro da Agonia. Hector Babenco, que nasceu na Argentina, naturalizou-se brasileiro só para atender ao apelo ético do roteiro. A fita, arrasa-quarteirão à época do lançamento, em 1978, foi incluído na programação da TV Brasil, à noite, Oportunidade para conferir o que escreveu Luiz Carlos Merten no Caderno 2 do Estadão: “nas entrelinhas, expõe a ligação dos porões da ditadura com o crime organizado”. Um  feito!

(Comentário no Direto da Moviola do Estadão no Ar da Rádio Estadão na terça-feira 14 de março de 2017, às 7h50m)

Para ouvir clique no ícone do play abaixo

[powerpress url=”https://neumanne.naweb.business/wp-content/uploads/2017/03/NEUMANNE-1403-LUCIO-FLAVIO.mp3″]

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Politica, Estadão, clique no link abaixo:

http://politica.estadao.com.br/blogs/neumanne/a-ditadura-e-o-crime/

Facebook
X
LinkedIn
Pinterest
Telegram
WhatsApp

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine a nossa newsletter.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

José Nêumanne Pinto

Blog

Jornal Eldorado

Últimas Notícias

Últimas Notícias