“A quem interessar possa”, Nêumanne por Mirabô Dantas

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
WhatsApp

[powerpress url=”https://neumanne.naweb.business/wp-content/uploads/2012/03/aqueminte-2.mp3″]

Nos anos 70 do século passado, fiz a letra de A quem interessar possa, misturando um poemeto meu, uma citação de Oswald de Andrade e uma estrofe de um folheto de cordel do gênio Leandro Gomes de Barros, e a entreguei para o potiguar Mirabô Dantas musicar. Ela foi gravada por Telma num LP produzido por Fagner e ganhou nova e belíssima gravação do parceiro em seu CD Mares potiguares, que é esplêndido. A mesma parceria se repete na sexta faixa do mesmo CD em Fado, que abre com versos que escrevi para o açude velho, em Campina Grande.

A quem interessar possa

Mirabô Dantas
Nêumanne Pinto
e Leandro Barros

Saibam quantos
esta canção ouvirem
que te amo do amor maior
que possível for

Tomo tua mão
não sou teu amo nem senhor,
sou só teu amor
e és meu amor também.

Mil cento e vinte anos
eu vivi no abandono.
Porém quem ama tem força,
vence fome, sede, sono.
O amor nasce no mundo
Já destinado a seu dono.

Facebook
X
LinkedIn
Pinterest
Telegram
WhatsApp

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine a nossa newsletter.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

José Nêumanne Pinto

Blog

Jornal Eldorado

Últimas Notícias

Últimas Notícias